Filmes Comentários

terça-feira, 31 de janeiro de 2012

Mais um fim de semana pacífico na Terra da Felicidade

Kraus Berg

No último fim de semana, na Região Metropolitana de Salvador, 28 pessoas foram assassinadas.

No sábado, sol a pino, na Avenida Luiz Viana, a Paralela, simplesmente a mais movimentada de Salvador, pai e filho foram assassinados com 18 tiros na frente de deus-e-o-mundo.

No mesmo sábado, no meio da tarde, no bairro mais chique de Salvador, a Graça, a dentista entra no drive thru do MacDonald´s depois de enterrar um familiar,  é assaltada e levam seu carro.

E mente quem diz que Salvador é uma cidade insegura. Pelo contrário, para quem vive voando de helicóptero por Salvador sem colocar a mão no bolso para nada, a cidade é ótima.

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Pinheirinho é logo ali...

Carlos Baqueiro
cbaqueiro@terra.com.br

Pinheirinho não deixa de ser um espelho da sociedade brasileira. Capitalismo selvagem, violência urbana, alienação, autoritarismo patriarcal, desigualdade, etc, etc, etc...

Viver é recordar... trago de volta um texto que escrevi no blog Notícias da Cidade, em julho de 2007, quando fazia o curso de jornalismo na Faculdade da Cidade de Salvador. O texto fala um pouco de tudo aquilo.

.....

Esta semana que passa nos deixa uma capa de revista semanal para reflexão sobre o que queremos do jornalismo. 

A Revista Época mostra na capa uma imagem digna dos melhores filmes de Sylvester Stallone, ou de Chuck Norris, quando os personagens representados por aqueles atores chegam, atiram, matam e depois vão embora. 


Dando continuidade à cena, um "Cavaleiro Jedai" com todo aparato de soldado de Guerra nas Estrelas andando entre corpos de “Monstros Extra-Terrestres” jogados entre corredores apertados de uma nave interestrelar. 


O que se poderia querer mostrando uma situação dessas ? Reforçar a idéia de um mundo cinematográfico entre nós ? Um mundo em que podemos facilmente reconhecer “bandidos” e “mocinhos” ? 


Mas não é difícil perceber que no chão estão seres humanos, e não ETs monstruosos. Passando por eles não está nenhum Luke Skywalker, mas também um ser humano, chamado pelos seus iguais de policial militar. 


Tornar coisas que não são naturais, mas sim determinadas pelas condições históricas, em naturais, devido a serem cotidianas e rotineiras, como a desigualdade social, por exemplo, ou a morte de 19 seres humanos em becos da periferia, não é uma responsabilidade única do jornalismo. Mas é evidente que o jornalismo também administra este tipo de deformação nas suas funções. 


É desnecessário se colocar aqui os motivos da desigualdade, já há lugares onde isso é possível de ser visto e revisto. Uma fonte confiável é o IBGE. Também é desnecessário que falemos o mesmo lugar comum de que a cor da pele, ou a renda mensal são motivos para perseguição e tortura. 


Mas não é desnecessário se dizer (penso que espaços autônomos, como este blog, têm essa função) que toda a culpa não deve recair somente sobre as políticas públicas de Estado. 


Na introdução ao seu livro "Práticas Cotidianas e a Naturalização da Desigualdade, Uma Semana de Notícias nos Jornais", Mary Jane Spink, nos dá o ar de suas análises: "A desigualdade não é um azar histórico, um vírus que se propaga pelo ar e, muito menos, uma conspiração de um grupo restrito. A desigualdade é sustentada no cotidiano pelas ações de todos, ao impor, ao aceitar ou ao considerar que algo é normal". 


E completa: "Naturalizar quer dizer tratar algo como normal, como dado e como parte do dia-a-dia; tão óbvio quanto o sol da manhã e a chuva da tarde". 


Você gostaria de ser tratado como as pessoas da foto a seguir ? 

 

Revista Época, 26 de Setembro de 2005 

Aquela é a forma como se tratam os “suspeitos” e “bandidos” das favelas e bairros pobres. Silvia Ramos, autora do livro "Elemento Suspeito", é citada em outra edição da própria Revista Época passando-nos a informação de quem são os tais suspeitos, a partir de uma pesquisa em 2.250 entrevistas domiciliares no Rio de Janeiro: Homens, de 15 a 24 anos, negros, com renda de um a três salários mínimos, morando dentro ou em torno de favelas. 

Não é difícil perceber que um dos grupos sociais que mais contribui para as naturalizações de fatos relacionados à violência, à pobreza, ao escárnio político, são os jornalistas. Principalmente aqueles responsáveis pelas editorias de TVs. Ali eles têm de reduzir a notícia a níveis pretensamente aceitáveis (na visão deles próprios) para o intelecto de um determinado cidadão médio (determinado pelos próprios editores). Além das necessidades das próprias grades de programação que são criadas em prol das necessidades financeiras das organizações de comunicação. 


Assim, jogam as notícias a ermo. Sem nenhum, ou quase nenhum, vínculo histórico, político ou filosófico. Sem qualquer contextualização, os fatos vão se amontoando nas mentes dos espectadores como se não tivessem nenhuma ligação entre si, narcotizando-os, e naturalizando os acontecimentos. 


Tudo como espetáculo, e como construção de um mundo que só existe na mente dos editores de mundo, nos “cineastas” das editorias das revistas, jornais, etc.

Chega de agressão gratuita!

Veja na coluna lateral direita do blog o AVISO IMPORTANTÍSSIMO.


Se Você concordar, continue participando do blog. Para nós é uma alegria. 


Mas, se não concordar, VAZA!

Lula sabia de Pinheirinho e nada fez

tony paCheco

No link abaixo você verá todo o histórico da área de Pinheirinho, em São Paulo, onde a PM do PSDB meteu o pau na população e derrubou a casa de todo mundo.
O que ninguém sabia é que foi pedido ao Presidente Lula que desapropriasse a área e ele simplesmente fez aquilo que mais sabe: nada. E, agora, a presidente Dilma disse que foi uma "barbárie" o que a Polícia fez com a população pobre a mando da Justiça.

Vejam o link:

http://colorindoajustica.blogspot.com/2012/01/caso-pinheirinho-desde-2004-lula-sabia.html

Varela dá show de jornalismo

toNy pacheco


Hoje, segunda-feira, entre 7:45 e 8:15, o Balanço Geral de Raimundo Varela, na TV  Record, deu um banho de jornalismo fazendo uma denúncia realmente aterrorizante, mesmo nestes tempos de descalabro generalizado no Brasil: a empresa Millennium, antiga Tibrás, acusada de poluir ar, terra e mar na Estrada do Coco, pouco antes de Arembepe, só estaria dando descarga de seus poluentes quando os ventos vão em direção à comunidade pobre que fica do lado esquerdo de quem vai para Arembepe.
Quando os ventos sopram em direção ao milionário condomínio de Interlagos, a descarga das chaminés é paralisada. 
Quer dizer, para os pobres, poluição e doenças.
Para os ricos, preservação da qualidade do ar.
E as imagens do helicóptero não deixam dúvidas: só liberam mesmo quando o vento bate em direção aos pobres.
E aquele território pertence a Camaçari, uma cidade governada pelo PT, neste estado da Bahia, também governado pelo PT. Este partido, definitivamente, fez a opção preferencial pelos ricos.


p.s.: CONCORDO com o que o internauta me disse e pediu pra não colocar o nome dele. Também nos tempos em que o DEM/PFL/PDS/Arena governaram a Bahia, quando "seu" ACM era o cacique, a Tibrás poluia ali do mesmo jeito. Concordo. Do mesmo jeito. E os riquinhos de Interlagos sempre preservados.

domingo, 29 de janeiro de 2012

Coitado do Brasil indo pro ralo sem saber




Ricardo Líper


O desemprego é, de longe, o maior problema que nós temos. Eu, adepto de São Tomé, não acredito no que os discursos oficiais dizem a respeito. Só acredito no que vejo. O resto é discurso, no sentido dado à palavra por Foucault, isto é, conversa mole para boi dormir. 
Sim, tem uma misteriosa crise. A crise mundial. A crise. Mas vou falar do que vejo e não da crise mundial. 
Para se abrir uma empresa, pequena, fodida, para ganhar alguns trocados e empregar um miserável, é um pesadelo. Uma portinha para vender doces, por exemplo, e empregar alguém do subúrbio para ser balconista. A burocracia, a série de impostos, embora a maquiagem de empresa simples, é como se você tivesse abrindo um shopping center. Para ficar tudo em dia precisa de um contador ou você ser um contador. São tantas as taxas e leis que nenhum contador consegue dominar. Há o INSS. Aí você luta, luta e abre. É assaltado. Uma vez, duas vezes, três vezes. Quase morre no último. Assalto branco. Fiscais todos os dias querendo dinheiro, lhe chantageando. Contas de luz feéricas. E aí você descobre que fechar uma empresa é caro e quase impossível. Resultado: grandes empresas, pequenos negócios. Pequenas empresas, nenhum negócio. Só dívidas. O brasileiro então sonha ser jogador de futebol, cantor de banda famosa, vereador, deputado etc. Para comer, minha gente, se dar bem na vida, isso, apenas isso. Ninguém pense que o brasileiro é contra a corrupção, ele quer é participar. Ele admira o político ladrão. A indignação é por inveja. Acaba logo quando é convidado para participar. Ele vive morrendo de fome e desempregado, minha gente. Teve um sujeito da política, não me lembro mais o nome nem se estava sendo sincero, que queria acabar com a burocracia. Aí aplicaram o brasileirismo nele: fingimos que fazemos quando nada estamos fazendo. Maquiagem. Êta povinho inteligente... Mas caminha para o ralo porque o caos na vida diária de todo mundo, que é o que importa de fato, maquiado de desenvolvimento, já chegou. 

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Não compre casa, carro, TV ou o que seja.

Atente para o aviso do filme: "Grandes negócios podem causar grandes danos". Se não nos chamaram para participar quando o capitalismo dava certo, não podem nos chamar para salvá-lo. 


VEJA ESTAS DUAS NOTÍCIAS QUE NÃO TIVERAM REPERCUSSÃO NA MÍDIA

O número de empregos com carteira assinada, em 2011, caiu 23% no Brasil em relação a 2010, segundo dados divulgados pelo Ministério do Trabalho dia 24.01.2012. De acordo com o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), foram abertas no ano passado 1,94 milhão de vagas, contra 2,54 milhões de novos empregos registrados em 2010.
Somente no mês de dezembro, foram fechados 408,1 mil postos de trabalho.
......................................................................................................

O mundo tem hoje 27 milhões de trabalhadores desempregados a mais do que em 2007, quando começou a crise econômica global, segundo dados divulgados, terça-feira (24.01.2012) pela Organização Internacional do Trabalho (OIT).
"Depois de três anos de crise contínua em mercados mundiais de trabalho e diante das perspectivas de deterioração da atividade econômica, há um estoque de desemprego mundial de 200 milhões", afirma o documento Tendências Globais de Emprego 2012.

.......................................................................................................

toNy paCheCo *

Quando fiz meu curso de Economia na Universidade Federal de Juiz de Fora, a primeira coisa que aprendi com uma professora pra lá de descolada, é que “se você explicar em economês como é a vida real das pessoas, elas tendem a ficar enfadadas e, aí, a comunicação não se dá”. Vamos ver se aprendi a lição...
Desde o início deste novo século que estamos vendo que o capitalismo dá mostras de que está cansando, pois suas fórmulas mágicas já não atendem à grande expectativa que ele criou: que realizaria o estado de bem-estar social que as utopias de esquerda não conseguiram realizar, com os fracassos na URSS, China, Vietnam, Cuba, Camboja, Coreia do Norte e por aí vai.
A grande sacudida no capitalismo começou em 2008 nos EUA, quando as pessoas “descobriram” que compraram imóveis que não valiam aquilo tudo que os corretores lhes cobraram e os donos de bancos “descobriram” que as pessoas para as quais eles vinham emprestando dinheiro não tinham como lhes pagar. Além de outras “descobertas”.
As duas notícias acima, mostrando o crescimento do desemprego no Brasil e no mundo e a insistência do governo brasileiro de nos mandar meter o pé na jaca do crediário em “trocentos” meses nos obrigam a pensar...

UM FILME EXPLICA TUDO

Aí, uso a lição de minha professora na UFJF: um filme explica tudo isso que estou dizendo melhor que ler toda a obra de Marx ou de Keynes. Está nas locadoras e nos pirateiros: em Português é “A Grande Virada” e no original é “The Company Men” (os homens da empresa).
Do diretor John Wells, tem um elenco multimilionário, que, na verdade, deve ter trabalhado por preço simbólico, pois o filme é sério demais e não deu nem dará bilheteria: Ben Affleck, Tommy Lee Jones, Chris Cooper e Kevin Costner. Não é mole não. Aí é cachê conjunto de mais de 300 milhões de dólares, pois todos são ganhadores de Oscar. Os atores também estão injuriados com o capitalismo, por isso fizeram o filme.
A história é simples: os americanos estavam felizes no início do séc. XXI, até 2007, e o filme mostra um típico executivo americano ganhando seus 200 mil dólares por ano, mais bônus e plano de saúde, com uma esposa linda e um casal de filhos. Porsche na garagem pro papai e Volvo station wagon pra mamãe. Golf pro papai jogar e Poker pra mamãe. Casa de praia nas Ilhas Bahamas. Até que a zorra explodiu em 2008.
E aí o mundo destes homens da empresa cai por terra. O desemprego pega todo mundo. O realismo é dramático. E os americanos aprenderam na prática que NUNCA se deve seguir os CONSELHOS DOS GOVERNOS: quando eles nos mandarem fazer qualquer coisa, está na hora de fazer o contrário.

O BRASIL ATUAL

As autoridades brasileiras, fiando-se apenas nos preços de produtos primários (ferro, soja, laranja, frango etc.), pois não produzimos absolutamente nada com valor agregado que ajude em nossas contas, está mandando o povo continuar comprando casa, carro, TV, geladeira, tudo produto com mais de 40% de impostos embutidos, para que a roda da fortuna capitalista continue E SETORES DO GOVERNO CONTINUEM GASTANDO EM CORRUPÇÃO.
Só que os países ricos estão em crise de desemprego e de empreendedorismo crônica e estão chegando ao ponto que não poderão continuar comprando produtos primários nem industrializados dos emergentes. E os emergentes (Brasil, Rússia, Índia, China e outros menos cotados) estão chegando ao limite de seu crescimento e pelo menos dois deles já mostram “cansaço”: o Brasil que está quase PARANDO e a China, que está DESACELERANDO.
As nuvens no horizonte não são negras. Já passou a fase de nuvens. O que está no horizonte é uma saraivada de relâmpagos e trovões ensurdecedores.
Num momento destes, o velho e sábio povo judeu só toma uma providência: guarda seu dinheirinho. NÃO GASTA.
Assistam o filme “A Grande Virada” e aprendam a lição: não estamos vivendo no melhor dos mundos e a crise atual é sistêmica. Isto é, as bases do capitalismo é que estão em discussão. Melhor ficar com sua casa atual, seu carro atual, sua TV e sua geladeira e parar de assistir propaganda de iPad, iPod e outras coisas que rimam com te ...ode e guardar sua grana do jeito que puder. Claro que menos em casa, pois seus vizinhos, com certeza, ao verem que você não muda pra Paralela nem compra carro novo, vão arrombar sua casa e querer saber aonde está escondido o dinheiro... Aceite um único conselho: sejam 100 reais ou 100 milhões, dinheiro só deve ser guardado no Banco do Brasil, que só vai falir o dia em que o Estado Brasileiro deixar de existir, né verdade?

SINAIS DE ESPARRO

1. Se o imóvel que estão lhe vendendo há menos de 5 anos custava 50 mil, não há lei econômica que explique que lhe cobrem atualmente 500 mil. Portanto, os preços dos imóveis nas cidades brasileiras estão artificialmente inflados, igualzinho nos EUA pré-crise.
2. Se o carro que estão lhe vendendo por 50 mil, no México custa 30 mil e o México tem uma economia igual à nossa, então está na hora de você deixar de comprar carro.
3. Se a TV ou qualquer outro eletro-eletrônico de sua casa está funcionando, não existe razão nenhuma mesmo para que você substitua.
4. Se a festa que seu filho vai custa 200 reais a entrada e você se lembra que há cinco anos custava 30, está mais do que na hora de explicar a seu filho que festa boa é aquela em que você se diverte e não aquela que você deixa todo o seu dinheiro na bilheteria e fica zanzando sem poder tomar uma cerveja, porque não tem grana.
E por aí vai...

* Tony Pacheco cursou Economia nas universidades federais de Juiz de Fora (MG) e da Bahia, formou-se em Jornalismo pela UFBA e é graduado em Psicanálise e Radialismo.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Viva a Islândia

Ricardo Líper

Eles postaram e eu não pude deixar de informar a vocês que nos acessam.

http://ironiadestado.com/2012/01/17/islandia-triplicara-seu-crescimento-em-2012-apos-a-prisao-de-politicos-e-banqueiros/

Islândia triplicará seu crescimento em 2012 após a prisão de políticos e banqueiros


37 Votes
Graça a revolução social, Islândia ira Triplicar o seu crescimento em 2012 conseguiu acabar com um governo. Prendeu os responsáveis da crise financeira.
E começaram a redigir uma nova constituição por eles e para eles, e hoje graças a mobilização, será o pais mais prospero de um ocidente submetido a tenaz crise da duvida.
É a cidadania islandesa, cuja revolução em 2008 foi silenciada na Europa por temer que muitos reparassem, e o conseguiram, graças a força de toda uma união, o que começou por ser uma crise, converteu-se em oportunidade , uma oportunidade que os movimentos de todo o mundo têm observado com atenção e tem posto como modelo realista a seguir.
Porque, consideramos que a história é uma das melhores noticias dos tempos que correm, sobretudo depois de saber que segundo as Previsões da Comunidade Europeia, este pais do norte atlântico, fechou 2011 com um crescimento de 2.1% e em 2012 este crescimento será de 1.5% um valor que supera o triplo do que todos os países da zona Euro e a tendência de crescimento vai aumentar  inclusive em 2013 atingindo os 2.7%.
Os analistas asseveram que a economia islandesa continua a  mostrar sintomas de desequilíbrio, e que a incerteza segue presente nos mercados, porem há voltado a gerar emprego e a divida publica diminui de forma palpável.
Este pequeno país do periférico árctico recusou resgatar os bancos, deixando-os cair e aplico a justiça sobre quem tinha provocado certos descalabros e desvios financeiros
As nuances da história islandesa nos últimos anos são múltiplas, apesar de transcender parte dos resultados que todo o movimento social há conseguido, pouco se tem falado do esforço que este povo tem realizado. No entanto o que nos parece digno de mencionar é a história que fala de um povo capaz de escrever o seu próprio futuro sem ficar a mercê dos que decidem com leis, alheios da realidade do povo, e mesmo que sigam existindo buracos por tapar e escuros por iluminar.
A revolução islandesa não causou outras vitimas que os políticos e os homens de finanças. Não derramou nenhuma gota de sangue, e também não foi tão apelativa como a Primavera Árabe, nem sequer tem sido mediática, mas conseguiu os seus objectivos de forma limpa e exemplar. Hoje o seu caso pode ser o caminho ilustrativo dos indignados e dos movimentos de ocupação do Wall Street e de quem exige justiça social e justiça económica em todo o mundo.
O seguinte vídeo é de um dos impulsionadores da Revolução da Islândia o qual envia uma mensagem a todos os Indignados
fonte: En Positivo



Esse blog acima postou essa notícia que me entusiasmou e reproduzo abaixo.
http://sarrabulhada.blogspot.com/2012/01/islandia-triplicara-seu-crescimento-em.html 



Islândia conseguiu acabar com um governo corrupto e parasita. Prendeu os responsáveis pela crise financeira, mandando para a prisão. Começou a redigir uma nova Constituição feita por eles e para eles. E hoje, graças à mobilização, será o país mais próspero de um ocidente submetido a uma tenaz crise de dívida.

É a cidadania islandesa, cuja revolta em 2008 foi silenciada na Europa por temor a que muitos percebessem. Mas conseguiram, graças à força de toda uma nação, o que começou sendo crise se converteu em oportunidade. Uma oportunidade que os movimentos altermundistas observaram com atenção e o colocaram como modelo realista a seguir.

Consideramos que a história da Islândia é uma das melhores noticias dos tempos atuais. Sobretudo depois de saber que segundo as previsões da Comissão Europeia, este país do norte atlântico, fechará 2011 com um crescimento de 2,1% e que em 2012, este crescimento será de 1,5%, uma cifra que supera o triplo dos países da zona euro. A tendência ao crescimento aumentará inclusive em 2013, quando está previsto que alcance 2,7%. Os analistas asseveram que a economia islandesa segue mostrando sintomas de desequilíbrio. E que a incerteza segue presente nos mercados. Porém, voltou a gerar emprego e a dívida pública foi diminuindo de forma palpável.

Este pequeno país do periférico ártico recusou resgatar os bancos. Os deixou cair e aplicou a justiça sobre aqueles que tinham provocado certos descalabros e desmandes financeiros. Os matizes da história islandesa dos últimos anos são múltiplos. Apesar de transcender parte dos resultados que todo o movimento social conseguiu, pouco foi falado do esforço que este povo realizou. Do limite que alcançaram com a crise e das múltiplas batalhas que ainda estão por se resolver.

Porém, o que é digno de menção é a história que fala de um povo capaz de começar a escrever seu próprio futuro, sem ficar a mercê do que se decida em despachos distantes da realidade cidadã. E embora continuem existindo buracos para preencher e escuros por iluminar.

A revolta islandesa não causou outras vítimas que os políticos e os homens de finanças costumam divulgar. Não derramou nenhuma gota de sangue. Não houve a tão famosa "Primavera Árabe". Nem sequer teve rastro mediático, pois os meios passaram por cima na ponta dos pés. Mesmo assim, conseguiram seus objetivos de forma limpa e exemplar.

Hoje, seu caso bem pode ser o caminho ilustrativo dos indignados espanhóis, dos movimentos Occupy Wall Street e daqueles que exigirem justiça social e justiça econômica em todo o mundo.

Fonte: Maestroviejo's Blog

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Governo pede, mas pense bem antes de comprar carro zero em 2012

Este é o Elantra, que a Hyundai vende a menos de R$30 mil nos EUA e a R$80 mil no Brasil

tony pacheCo

Você já recebeu uma carta dos governos federal, estaduais ou municipais comunicando que “em vista da necessidade de manter o macrossistema econômico funcionando” estariam lhe devolvendo 50% dos impostos que lhe foram cobrados nos últimos cinco anos, desde que você se comprometesse a comprar carros, geladeiras ou televisores?
Não?
Pois é, nem você nem ninguém. Mas o governo federal está deitando falação dizendo que nós temos que continuar comprando para manter a economia brasileira saudável.
Será que isso é verdade?
Como estamos em plena época de compra de material escolar, você ficou sabendo pela mídia que, em média, o material escolar brasileiro tem 47% de impostos federais, estaduais e municipais. Vale dizer, de um caderno de 10 reais do menino ficam 4 reais e 70 centavos nas mãos do governo. E é este governo que diz que está preocupado com a educação dos seus filhos...
Mas o que eles gostam mesmo que você faça é trocar um carro usado por um novo. Se você comprar um Elantra da Hyundai, carro recém-lançado, cheio de curvas que deixam você de classe média maluco, deve pagar à concessionária, no ato, R$80 mil. Mas você pensa que pagou à concessionária. Na verdade, tem uns sócios ocultos aí: são os governos federal, estadual e municipal, que vão ficar com cerca de 34% do valor que você pagou, isto é, R$27.200 ficam pros governos.
A revista “Época” de 24 de outubro de 2011 fez um revolucionário levantamento de quanto você gasta com um automóvel num espaço de cinco anos, fazendo toda a roda da fortuna girar em sentido horário e a sua roda, em particular, girar ao contrário. Entre impostos, licenciamentos, gasolina ou álcool, revisões, seguros etc., num carro de R$80 mil, após cinco anos, você terá gasto mais de R$54 mil além dos 80 iniciais.
Isto é um escândalo e só acontece no Brasil. Aqui, a classe média que compra carro zero todo ano, é a verdadeira mola mestra da economia, embora seja vista como inimiga pelo governo, que não dá escolas boas a seus filhos, não dá saude decente, não dá segurança e, de quebra, para os automóveis QUE SÃO A MERCADORIA QUE MAIS ARRECADA IMPOSTOS NO BRASIL, os governos federal, estaduais e municipais dão estradas e ruas totalmente esburacadas e inseguras.
Junte a isso tudo o fato de que as montadoras cobram mais caro no Brasil por qualquer veiculo e você tem mil e uma razões para fazer de 2012 o ano em que você não vai comprar carro zero, afinal, aquele Elantra que você está apaixonado e custa R$80 mil no Brasil, os americanos só vão pagar por ele menos de R$30 mil. Isto é, 50 mil reais a menos. Nos EUA o carro é vendido a exatos 15.345 dólares. 
Que diploma de otário a gente coloca na garagem...

domingo, 22 de janeiro de 2012

Da série não acredito: médicos


Ricardo Líper

Sei que o sonho de cada médico é ter um consultório no qual ele cobre 500 reais ou mais por uma consulta. Quem não gostaria disso? Dez pessoas, por baixo, por dia, 5 mil reais. É que a medicina como tudo nem sempre é, exatamente, uma ciência tão exata. Vale a arte. No sentido da inteligência, malícia, capacidade individual etc. e tal. Esperteza, performance, presepadas, sorte também. Essas qualidades todas que ajudam muito qualquer profissão. Não estou criticando os médicos, longe de mim e isso é uma coisa  muito perigosa. Ninguém gosta de criticar médicos.  Eu fico pasmo não é com esse projeto que alguns médicos conseguiram executar. O que fico pasmo é que não têm vaga. As consultas estão todas marcadas. Fico pasmo é com os clientes. Mas entendo o miserável sofredor com medo da doença, da morte, dele e das pessoas que ama diante da incompetência generalizada, da saúde pública nacional. Enfim da nossa imensa miséria e o que pagamos pelo fato de nascermos nesse mundo e nos corpos absurdos que temos. O que  fico também pasmo não é o fato de pastores pedirem dinheiro em nome de Jesus é que tem gente, segundo me dizem, que dá até a casa que mora. E aí fico me perguntando: quem deveria ser preso, o pastor por enganar o próximo ou quem deu seus bens mostrando incapacidade de gerenciar o que é seu? Pedir todos podem pedir o que quiserem, se você vai dar é outra história... Eu peço algumas coisas a algumas pessoas, algumas dão e outras não... Como todo mundo pede, não é?
Alguns amigos meus me disseram que deveria colocar um turbante e pedir 600 reais por consulta. Vou pensar...

sábado, 21 de janeiro de 2012

COMPORTAMENTO

E o que é mesmo o amor?


O mestre ateniense Protáxogoras vinha pelas ruas ensinando filosofia aos seus moleques, digo, discípulos, e aí, um de nome Hefestion (não aquele de Alexandre da Macedônia, aquele era guerreiro e valentão, este é um emo do passado remoto), resolveu encher o saco da galera perguntando coisas sobre o... AMOR. Vejam as perguntas do moleque, digo, discípulo, e vejam as respostas do mentor.

Hefestion II, A Missão - Mestre, seria o amor aquilo que nos pega de surpresa e nos deixa totalmente sem ar?

 Protáxogoras - Não, menino, a isso se chama Asma.

Hefestion II, O Retorno - Mestre, o amor faz brotar uma nova pessoa dentro de nós?

Protáxogoras - Não, discípulo, o nome disso é Gravidez.

Hefestion II, A Vingança - Mestre, seria o amor aquilo que nos deixa a noite inteira acordado, só pensando pensando pensando?

Protáxogoras - Não, infeliz, o nome disso é Insônia.

Hefestion II, A Origem - Mestre, seria o amor aquilo que nos deixa voando, voando, no mundo da lua, totalmente zen?

Protáxogoras - Não, desatento aluno, o nome disso é Maconha.

Hefestion II, O Final - Mestre, e o amor é aquela sensação que nos torna pessoas mais bonitas? Que só de olhar os outros notam a diferença?

Protáxogoras - Não, imbecil, o nome disso é Cirurgia Plástica e vá arranjar um jegue viuvo..


* pela adaptação, Tony Pacheco

sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

A internet é, essencialmente, libertária

Ricardo Líper


Eu sempre pensei que a internet tinha sido inventada por Emma Goldman ou Bakunin ou por algum revolucionário desses. Que não tecnicamente mas teoricamente a inventaram estou convencido. No sentido de pregarem a liberdade para todos. Os computadores se transformaram em uma tecnologia revolucionária. Sim, os computadores ainda são caros,  mas estão sendo disponibilizados, cada vez mais, a preços melhores e muitas instituições permitem o acesso a eles sem cobrar. A essência da internet é a informação. E não só a informação, ela oferece serviços como compras, pagamentos sem se chatear diante dos autoritariozinhos que nos botam em filas e nos obrigam a seguir suas administrações alucinadas e muitas vezes fascistas. E o principal: o Zé Ninguém pode escrever o que quiser de palavras castas até palavrão e colocar na internet. Pode botar seu retrato na internet, até nu se quiser. Isso é, ela realiza a ideologia dos inimigos do rei: Liberdade, ampla, geral e irrestrita para todos. Daí todos autoritário odiarem a internet. E toda ditadura sonha em proibi-la e tenta diariamente. Mas ela parece que tem seus anticorpos. Parece que só faz crescer e aumentar seus tentáculos libertários. Hoje não se vive mais sem internet. Você está lendo isso porque existe a internet. Outra coisa foi o DVD e os filmes que se baixam pela internet. Nos permitiu assistir o que não poderia ser visto porque dependia da exibição pelas empresas donas dos cinemas. Agora tudo é possível. A tecnologia é louca, ela é como uma metralhadora atirando em todas as direções e tem mostrado que certas invenções levam, de forma  rápida, a uma libertação muito grande. A invenção da roda já foi libertária. Marx percebeu isso e grande parte de sua teoria da história esta ancorada nesse pressuposto.

 É impossível se censurar sem imbecilizar. Essa é uma verdade fundamental. Bobificar gerações tem como causa a censura. E a censura nunca pode ser seletiva. Na medida que ela avança, ela imbeciliza as pessoas. Verifique: já pensou uma pessoa que desde criança só lesse o que não foi censurado?! Se só conhecesse O Pequeno Príncipe e A Noviça Rebelde ou coisas semelhantes? Para a felicidade da humanidade alguns leem tudo e selecionam, com o tempo, o que de melhor lhes ensinou a viver. Mas estou querendo dizer que a internet, como tecnologia, tem um potencial revolucionário anarquista que é incontrolável. Não foi criada tecnicamente  por anarquistas, claro. Foi criada, por acaso, no sentido de criar máquinas para se ganhar dinheiro, brincar até. Mas nasceu anarquista. E deu no que deu. Zé Ninguém está lavando a jega. Além de dizer o que vem na sua cabeça, se quiser, posa nu online como se fosse um artista de cinema. Isso é maravilhoso. Sim, você acessa se quiser. Você é livre para escolher se vai ver Zé Ninguém nu ou um poeta como Goethe. Ouvir uma orquestra magnífica tocar Mozart ou Beethoven ou Assim você me mata... É isso que é revolucionário. Ela é a maior escola, universidade, enciclopédia, sempre crescendo, que jamais se imaginou. Descensurou o mundo. O menino esperto, sonso, na calada da noite, dá um clique e pronto o mundo se abre para ele, da pornografia à ciência, à filosofia, à literatura. Depois do orgasmo, a sabedoria ou, paralelamente, os dois. Evoé!!! 


quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

A Guerra continua essa noite...

___________________________


Carlos Baqueiro
cbaqueiro@terra.com.br

Enquanto isso o pau tá quebrando pelas frenéticas ondas eletro-magnéticas através do globo terrestre...


Como disse Kropotkin:

"Mas para que o bem-estar seja uma realidade é necessário que esse imenso capital: cidades, casas, campos, oficinas, vias de comunicação, deixe de ser considerado propriedade privada de que o açambarcador dispõe a seu bel-prazer. É preciso que tudo isso, obtido com tanto trabalho, se torne propriedade comum. É preciso uma EXPROPRIAÇÃO".

Operário da Fonte Nova ganha menos que 600 paus

Ronaldo, barãozão, em vez de perguntar quanto o peão ganha, prometeu jogar bola com eles no final da obra: é um brincalhão este fofão...


TonY pAchecO

Como os amigos sabem, moro junto do estádio Octávio Mangabeira que agora vai se chamar Arena Fonte Nova. Como a obra tá enchendo de poeira minha casa e as de meus vizinhos, deu aquela louca hoje e fui visitar a obra. Afinal, se um gênio como Ronaldo Gordo pode, por que não eu?
Aí chegaram dois peões perto de onde eu estava, achando que eu queria tumulto. Nem queria.
Aí, conversa vai, conversa vem, diante do sujeito que quase morre se atirando do guindaste da obra na quarta-feira, eu acabei não resistindo e perguntando: "Ói, cês devem ganhar bem pra caramba aí, afinal e ao final, esta obra vai ficar perto de 1 bilhão de reais. Tá dando pra tirar uns dois barões aí por mês?"
Eles responderam: "Porra nenhuma. Quando desconta tudo, eu tirei 570 paus. Ele aqui não chegou a 600. É por isso que a gente vai entrar em greve amanhã".
Falei, porra, furo internacional: GREVE NA OBRA DA ARENA FONTE NOVA ALGUMAS HORAS DEPOIS DE A FIFA VISITAR O CANTEIRO.
Mas é assim que é, aqui, no Império Romano, digo, no Brasiiiiiiiiiilllllll. Enquanto os patrícios dos grupos dominantes falam em milhões e bilhões de reais, em sexta economia do mundo, vão pagando aos pretos quase brancos e aos brancos quase pretos menos de 600 reais por mês, o que dá pra fazer uma refeição nos restaurantes da Marina da Contorno.
Eu não acredito que estes operários tenham "culhão" pra fazer esta greve, contudo, se tiverem, vai ser um escândalo internacional. Aí sim, nossa Bahia vai brilhar no mundo muito melhor que na própria Copa do Mundo.
Vai que é sua Ronalducho!!!

Nos desocupem



Eduardo Lima

  Estava passando por Ondina, mais precisamente pela frente da famosa Praia do Oi (apelido dado pelo fato de “todos” do Calabar, Federação, São Lázaro, entre outros, se baterem, às vezes de forma literal, por lá) e que é também conhecida como Cocô Beach (traduza e pronto) quando, devido à lentidão do trânsito, pude reconhecer num grupinho no meio da rua algumas caras conhecidas, apesar de completamente fantasiadas. Digo fantasiadas por estarem, talvez pelo caráter do evento, usando o que me arrisco chamar de roupa de protesto ou Desocupa-Wear!. Xiiiiiiii! Lembrei que era aquele protesto contra o camarote tal. Num estalo me veio a pergunta: onde raios teriam “intocado” os inseparáveis IPOD’s e os All Star Converse? Maldade minha. Êpaaa! Terem passado toda a vida ouvindo músicas estrangeiras e usado roupas americanizadas é só um detalhe, claro! O sangue afro deve ter falado mais forte, né?
  Parei o carro mais à frente e fiquei observando o protesto popular. Máscaras do teatro grego? Pernas de Pau? Lindo! Carrinho de Café estilizado com a sua “pilota” falando ao microfone que tem direito de falar a PORRA que quiser? Menos lindo! Mas o bicho pegou mesmo foi quando uma senhora toma o microfone e fala: “...a praça é nossa, Salvador é do povo!!”
  Imagino que os idealizadores deste evento sejam aqueles dois ou três que sobraram atrás do Trio de Armandinho, ou que ficaram felizes com a nova Festa do Bonfim sem os trios, ou mesmo os que contribuíram para a atual situação da Praça Castro Alves no (des)encontro de trios ao acharem, naquela época, que os blocos da “elite” atrapalhavam.
  Na minha mente romântica cabe este mundo ideal de festas populares com o governo apenas decorando a cidade e o povo dançando alegremente sem distinção... Já com os pés no chão enxergo que Armandinho está pagando um mico da zorra, com ninguém curtindo, principalmente com aquelas caretas ao fazer a guitarra falarrrrr (argh!). A Festa do Bonfim ficou uma merda sem os trios, pois o barato era o carnaval fora de época, afinal, só as baianas vão até a Igreja. Mas, não! Eles querem que a Praça de Ondina seja do povo igual à Praça Castro Alves.... penso que se a fórmula Desocupa tivesse certa não tinha sobrado só a Festa do Rio Vermelho, e olhe lá se sobrou!
   Pior é quando entra no coro os “alienígenas”da cultura baiana e fazem Desocupa pra impedir a substituição da balaustrada da Barra por um calçadão de 5 metros dando maior conforto e beleza. Fazem Desocupa impedindo o governo de dinamitar aquelas pedras à direita do Farol da Barra, criando assim uma nova praia para banho. Desocupa tentando impedir o Bahia Marina, os píeres do Corredor da Vitória, Desocupa procurando problema pelos “gringos” estarem comprando os casarões do Santo Antônio todo (era melhor deixar às traças?). Provavelmente tentarão fazer Desocupa com o novo gabarito da orla, pois devem achar que é melhor aquele monte de praias desertas e a favelização dos arredores, como está hoje.
  Senhores Desocupadores, criem dificuldades e antipatias com os investidores e patrocinadores e depois esperem sentados em tamboretes das antigas barracas de madeira e lona pelos trios tocando “varre-varre vassourinha” com Baby, Morais, Pepeu, Sarajane, Armandinho e Paulinho Boca. Pois os Chicletes, Ivetes e outras atrações de peso vão pra onde a grana for...
Pragas invejosas!
Me desocupem.

Eduardo Lima foi colega de Alex Ferraz e Tony Pacheco no jornal A Tarde.

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Haddad e a conspiração dos fascistas cristãos

Haddad é um ministro da época em que o PT era a vanguarda do pensamento político

tOny pachecO

Sim. Agora vou chamar o que vir de mau gosto, mau gosto, como diria Caetano Veloso.
O novo fundamentalismo cristão que está tomando conta da Igreja Católica brasileira e dos protestantes locais já está dando nos nervos. Eles pretendem, mesmo, reeditar os tempos nos quais o Estado e a Religião eram uma coisa só, para a infelicidade da maior parte da população. Parece que este é o legado do 11 de Setembro nos EUA: os fundamentalistas muçulmanos, com sua religião totalitária e violenta, despertaram nos cristãos os seus piores sentimentos e, agora, estes últimos, em todas as latitudes, querem se mostrar mais intolerantes que os islamitas, vide o papa nazista Bento XVI com suas exortações homofóbicas, justamente um católico, que impede seus prelados de casar com mulher e, aí, eles se dedicam àquilo no que se especializaram nos EUA: a pedofilia, o que já deu milionárias indenizações no vizinho norte-americano...
Mas, voltemos à vaca fria...
O ministro da Educação, Fernando Haddad, ficou famoso por não conseguir realizar um ENEM sem vazamento, pois tem gente dentro do seu ministério conspirando contra ele. Como não sabe comandar, está sendo, repetidamente, boicotado.
Mas, ele tem um lado inteligente que tem que ser ressaltado: é um Homem com "h" maiusculo mesmo. No início do governo de Dilma Rousseff (esta caixinha de surpresas que eu achava que ia fazer uma revolução ética no País, o que mostra o quão TOLO EU SOU...), ele mandou confeccionar uma cartilha e uma quantidade de vídeos onde a homofobia (o ódio inexplicável às pessoas homoafetivas, isto é, que transam com o mesmo sexo) seria mostrada nas escolas públicas como sentimento fascista que é. Gerador de infelicidade para milhões de jovens e também de suicídios.
Dilma vetou a cartilha depois da pressão da bancada cristã, católica e evangélica, pois estas vertentes religiosas contam com 70 dos 500 e poucos votos da Câmara dos Deputados.
Agora, neste início do segundo ano do governo Dilma/PT, o ministro Haddad vem com outra revolução: colocar camisinhas (preservativos) à disposição dos jovens nas escolas públicas e privadas.

SEMPRE OS "CRENTES"

Um deputado do PSDB, este partido que infelicitou o Brasil por oito anos, um tal João Campos, de Goiás, presidente da frente parlamentar evangélica, está exigindo a "punição" de Haddad por Dilma Rousseff pela ideia de evitar doenças venéreas e gravidez indesejada na adolescência. É ajudado por outro fundamentalista, Paulo Freire, do PR paulista. Unidos pela miséria e o obscurantismo.
Até o momento em que eu escrevo, há uma conspiração de fascistas cristãos, novamente, contra a medida. Mas a presidenta Dilma ainda não se manifestou. Mas, pelo histórico recente dela, é bem capaz de punir o ministro Haddad.
As religiões, como todos sabemos, vivem da IGNORÂNCIA e da POBREZA. Elas são contra o amor livre e contra o controle da natalidade, pois precisam de milhões de miseráveis que lhes paguem dízimos e frequentem seus cultos.
Povo educado e feliz é povo que não precisa de padres nem pastores e isso é o que os padres e pastores têm mais medo.
Estamos voltando à Idade Média...

Elogio aos protestantes e católicos 2

Ricardo Líper

O que os cristãos brasileiros, evangélicos e católicos querem é a perseguição do semelhante e conseguiram dobrar o governo nesta intenção. Por trás da suposta mansidão de araque, como se dizia antigamente, eles no fundo, como já disse, querem é perseguir os semelhantes. Vejam o filme Incêndios, que os contempla e mostra como os católicos agem quando seus interesses são prejudicados. Passa no Líbano moderno.
No caso da manutenção da homofobia nas escolas, o que eles querem é que meninos e meninas que queiram ser livres sexualmente não possam e sejam castigados por isso. E os que mudam de gênero, travestis e transexuais sejam impedidos de estudar pela repressão de professores, colegas e porteiros.  Daí a marginalização. É isso e apenas isso que os católicos e crentes querem. Censurar, reduzir ao silêncio, perseguindo e obrigando a sair das escolas quem não segue as loucuras teóricas deles que já infelicitaram grande parte da humanidade desde a Inquisição.
O governo cedeu. Suspendeu o programa de impedir a homofobia nas escolas. Na minha opinião perdeu a oportunidade de nos equiparar a países como a Espanha, por exemplo, e outros. Perdeu o bonde da história. É uma tradição brasileira antiga. Os governos deste país de infelizes quer ser sempre o último a dar alguma migalha aos seus governados. O que está salvando as pessoas, mais livres sexualmente, é que a pressão internacional, a imprensa, até novelas, têm se recusado a impedir que a liberdade sexual chegue às escolas, mostrando para a sociedade que o maltrato do semelhante por escolhas sexuais é uma monstruosidade fascista. Isso tem melhorado a homofobia em algumas escolas, uma vez que o governo não contribuiu para barrá-la. Está ficando consensual que discriminar pessoas por escolha do objeto sexual para amar é uma coisa repulsiva, fascista. Daí, o homofóbico passou a ser repudiado e ninguém quer carregar esse rótulo.
A sociedade está reagindo contra o preconceito. Vi escrito não me lembro mais onde e me entregaram um papelzinho que dizia: "homofobia é coisa de católicos, crentes e ignorantes. Homofobia é nazismo. Por um Brasil e um mundo sem homofobia". 

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Schadenfreude para TWB, PT e PSD

Kraus Berg 

Schadenfreude é palavra da língua dos meus antepassados e é o sentimento de alegria que nos invade quando poderosos, arrogantes ou incompetentes e idiotas se metem em situações ridículas.
É o que está acontecendo com a TWB, que está gastando milhões em publicidade para dizer que faz o que não faz: oferecer uma travessia Salvador-Itaparica-Salvador digna e segura.
É o que acontece com o partido governista baiano, que diz que oferece segurança e no entanto a Ilha de Itaparica virou um faroeste.
E é o que acontece com o PSD, o partido do vice-governador, que deveria botar ordem na casa, pois a TWB, teoricamente, é subordinada a ele, e que, na prática, fica assistindo e dando risada.
Pois, agora a risada é nossa: o sobrinho do líder do governo na Assembléia Legislativa, deputado Zé Neto (PT), foi assaltado na fila esperando o ferry-boat na ilha. O próprio Zé teria ficado mais de cinco horas esperando o ferry, pois recusou-se a usar o passe especial depois que a própria TWB entregou que teria dado a ele um. E, finalmente, a TWB sofreu um assalto em Bom Despacho de R$180 mil no banco do seu próprio terminal na ilha.
É ou não é uma vingança dos deuses? É ou não é pra dar risada?

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

E os ratos passeiam pelo Senado



Alex Ferraz

Poucos brasileiros contiveram o riso diante da notícia mais piada pronta da semana passada: o Congresso está infestado de ratos e um deles mordeu um funcionário da Casa.

Dizem que, ao saber da mordida, alguém de lá de dentro teria perguntado: “Quem mordeu quem?”

Comenta-se também que o comando do Senado pretende contratar um exterminador de pragas para acabar com os ratos e, no dia da ação, os senadores serão dispensados, pois alguns correriam o risco de cair nas ratoeiras.

Pensando bem, essas piadinhas são politicamente incorretas. Sim, pois acabamos ofendendo os direitos dos pobres roedores, cuja fama de larápios deve-se tão somente ao fato de furtarem alguma comida para se manter vivos. Pelo que se sabe, ratos (os bichos, mesmo) não surrupiam dinheiro alheio, não fazem armações ilimitadas para locupletar-se enquanto as ninhadas morrem em inundações e sem assistência veterinária, não traem, enfim, seus semelhantes.

Então, concluímos, os ratos têm dignidade a toda prova, o que, infelizmente, não se pode dizer de alguns políticos (como sempre, ressalvado as honrosas exceções de praxe).

Só não podemos colocá-los para vigiar queijos, como há homens que não podem jamais ser colocados para fiscalizar o dinheiro público.

Mas, no final das contas, a verdade é que para livrar dos ratos humanos nossas entidades que compõem o poder, acho que o que está faltando mesmo é um grande e eficaz exército de gatos.

Ou muito chumbinho, quem sabe...

(coluna Em Tempo, Tribuna da Bahia)

domingo, 15 de janeiro de 2012

Canário que não dá bronca pede penico

Igor Canário primeiro reagiu duro, depois pediu desculpas por ter sido agredido. 


tony PAcheco

Eu tinha jurado que nunca mais ia falar de pagode (kkkkkkk). Nunca acreditem em mim.
Em 2007, quem gosta de música baiana, de qualquer tipo, tomou um susto (sic) com o primeiro CD da banda Fantasmão, com Eddie no vocal. A voz rouca dele, bem rock'n'roll, e a harmonia das músicas, todas chegadas ao rock pesado, inclusive com guitarra hard mesmo na entrada das músicas, misturando tudo com pagode e letras de hip hop denunciando injustiças sociais, toda esta sopa incomodou os conservadores da cena musical.
Em 2008, a coisa melhorou muito. Fui, inclusive, convidado pelo produtor Vítor a assistir alguns ensaios na Cruz Caída (claro que misturado ao povão e não no camarote tosco de então). Gostei demais.
Aí, entrou a neurose egocêntrica do cantor com um monte de gente esperta por trás e destruiu a banda com a promessa de fazer uma carreira solo pro cantor. Deu no que deu: a banda morreu e o cantor faleceu.
No ano passado tomei contato com A Bronca (com quantos k você quiser kkkkkkkkkk). O cantor Igor Canário (com quantos K e N você quiser...) tem a pegada do malandro carioca e as letras parecem dos MCs das favelas paulistas. É revolta pura.
Aí, não sei quem (que todo mundo sabe quem é...) gostou e começou a empurrar o rapaz PARA O LADO DO BEM (bem espertos, bem ricos, bem oportunistas).
Na semana passada, A Bronca e seu cantor Canário foram duramente atacados, principalmente por Daniela Mercury, que mandou o pessoal ir estudar. A princípio, Igor reagiu como se esperava dele, esculhambando deus-e-o-mundo. Depois, como num milagre dos peixes, multiplicou-se em PEDIDOS DE DESCULPAS a Margareth Menezes e Daniela Mercury. Como Jesus, ele pediu desculpas por ter sido agredido.
A MENTALIDADE DO ESCRAVO E SUA BAIXA AUTO-ESTIMA.
É outra que vai morrer antes mesmo de aprender a andar.
Tô triste.

sábado, 14 de janeiro de 2012

A Praça de Ondina não é do Povo !!!

_____________________________


Carlos Baqueiro
cbaqueiro@terra.com.br

Material encontrado no Facebook dos Acampados em Salvador.(http://www.facebook.com/OcupaSalvador/posts/347544015256124):

1 - A Praça de Ondina, em Salvador, não tem banco, não tem árvore, não tem parquinho, não tem NADA! É um grande CALÇAMENTO feito especificamente para a construção de um camarote que cobra quase 1000 reais por pessoa POR DIA só pra respirar lá dentro durante o carnaval (vejam no site os preços! http:// www.camarotesalvador.com.br/).

2 - O Camarote Salvador ocupa a praça desde o início de dezembro (a praça foi inaugurada em setembro) até depois do carnaval. A Premium Produções venceu a licitação para explorar o espaço pelos próximos CINCO ANOS! Por três meses do ano a população não pode usar o espaço. É por um ano e meio que a população é PRIVADA de um lugar PÚBLICO. Passem lá na frente do camarote pra ver. Não tem espaço nem pra colocar o dedo mindinho do pé. Nem precisa falar que não dá pra ver o mar nem tentando muito.

3 - Os comerciantes da praça (a Banca Cultural e as barraquinhas de coco) tiveram que se retirar em dezembro, no início do verão. Fora o transtorno das pessoas que querem ir à praia, que agora tem que dar a volta em toda a estrutura do camarote. Uma praia assim é uma praia morta, é uma praia que nem existe.

Esse texto, dentre outros, surge nas redes sociais devido a uma liminar, expedida pela juíza Lisbete Maria Almeida, proibindo uma manifestação pacífica de protesto, contra o fechamento de uma área, no bairro de Ondina, que está sob a administração de uma empresa privada, para a construção de um camarote. A manifestação estava prevista para acontecer neste sábado às 18 horas na Praça de Ondina.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Elogio aos protestantes e católicos

Ricardo Líper

Na sua ânsia de perseguir os semelhantes o grupo protestante é muito organizado. Quando digo ânsia de perseguir o semelhante não estou exagerando. Eles perseguem a religião dos afrodescendentes, dos índios, dos kardecistas dizendo que todos cultuam o Demônio. Eles perseguem as mulheres de todas as formas, criticando tudo que elas fazem. São antidemocráticos em tudo. Sempre foram contra os socialistas, comunistas etc. Sempre censuraram as artes, literatura, cinema, televisão. Se eles tomassem o poder estabeleciam uma das ditaduras mais ferozes da história. Sem nenhum exagero. E eu sou absolutamente a favor deles terem a liberdade de dizerem o que quiserem, quando quiserem, dentro dos limites das leis vigentes em uma democracia. Não podem ameaçar nem agredir os outros fisicamente, como muitas vezes fazem. 
Agora, são organizados. Muito mais do que aqueles que eles perseguem. Eles elegem seus representantes nas assembléias sistematicamente. Porque eles votam nos seus candidatos. Esses candidatos doam seus dízimos às suas organizações e eles empresariam Cristo muito bem. Coisa que não se observa nos espíritas, por exemplo. Eles não empresariam Kardec, não se candidatam a cargos, que eu saiba, nem têm uma bancada espírita nas assembléias. Aliás, é uma religião democrática e muito ética. Nunca a vejo envolvida em escândalos. Observe. São sempre pessoas dispostas a entender e ajudar o próximo e pregar uma evolução ética para melhorar nesta e próxima encarnação.
Os negros não possuem, em um país com tantos afrodescendentes, uma bancada afrodescendente.
As mulheres também não. São poucas. Elas são maioria (51% da população), mas não votam em mulheres. Os gays também não votam nos seus representantes. A julgar pelas paradas Gays, quantos políticos gays poderiam ocupar cargos nas assembléias se pelo menos a metade dos gays votasse em candidatos gays? Não em aproveitadores e oportunistas que dizem que apoiam e depois se intimidam na hora de defender os interesses de uma sexualidade mais livre.
Agora, mesmo, mulheres, negros, gays, intelectuais querem que o governo não ceda aos protestantes. Mas a Presidente Dilma Rousseff sancionou a Lei que reconhece a música gospel como manifestação cultural no dia 10/01/12. Leia mais sobre:


 http://www.24horasnews.com.br/index.php?mat=398432

quinta-feira, 12 de janeiro de 2012

Sexo



Ou sozinho, ou com dois, três ou mais. Sempre é sempre carícias. Ou você preferiria está vendo agora um campo de batalha?
Ricardo Líper

Não gosto de falar de sexo. Sexo não é para se falar, principalmente, sob pontos de vista religiosos, supostamente científicos, psicológicos ou seja lá o que for. Quando fazem isso é para reprimir os outros visando interesses torpes. Foucault escreveu um livro que é fundamental e, no meu entender, esgota e encerra o assunto. É  A vontade de Saber, o primeiro volume de sua história da sexualidade. Quem não leu está vacilando. Entretanto, na ânsia de dominação do semelhante, organizações autoritárias e fascistas não poupam o prazer sexual humano. É por isso que eu escrevo sobre sexo. Defendo, como defendo a liberdade de expressão, a liberdade sexual de todos de maneira ampla, geral e irrestrita. Só sou contra o estupro e sexo entre adultos e menores porque aí se inclui o autoritarismo de um sobre o outro. Agora, sexo consensual entre adultos, sem serem forçados a praticá-lo, é tão inocente como beber um copo d`água. Seja o sexo qual for e como seja praticado. Deve se ter cuidado apenas para não pegar doenças sexualmente transmissíveis. O resto é ser livre e aproveitar a liberdade sexual de nossa espécie. O resto é hipocrisia e repressão. Não gosto das palavras homossexual, heterossexual, gay ou seja lá que apelidos se criem porque são reducionistas e  invenções visando reprimir a liberdade sexual humana. Entretanto, no momento histórico em que vivemos assumir um desses estereótipos, a depender das circunstâncias, devido ao hábito de sociedades repressivas à atividade sexual humana, é instrumental para se entender o que se está querendo dizer. Mas o x da questão é abolir a ditadura sexual imposta a todos nós em sociedades que não estabeleceram ainda a democracia sexual. O que existem são pessoas livres sexualmente e as que se submetem a uma ditadura sexual imposta por ditadores sexuais de vários tipos. Religiosos, psicólogos, psicanalistas e todo o tipo de gente querendo impedir que as pessoas sejam sexualmente livres. O que defendo é a democracia sexual e não a ditadura. Por isso falo, às vezes, de sexo. Sentir prazer sexual na forma humana é uma das coisas mais naturais, belas e inocentes. Seja com o próprio corpo ou com o corpo daqueles que concordam em trocar carícias visando o orgasmo. Os anarquistas sempre falaram de amor livre. No ser humano sexo é arte, apenas arte e não só função biológica. Aqui, portanto, só se fala de ditadores e, no caso, de ditadores sexuais. 
Recado: empata-fodas, se manquem, vejam o papel ridículo que fazem todos os dias, vão se tratar e gozar e deixem os outros gozarem como e quando quiserem. Tanta coisa importante para se resolver e ficam preocupados com quem comeu quem e em quê circunstâncias. Essa imbecilidade é que é depravação. Ficarem esmiuçando e reinterpretando livros sagrados ou não para punir e perseguir quem gozou assim ou assado. Se manquem fascistas sexuais. Lamentável é até os governos, com tanta coisa para resolver, ficar dando ouvidos a essas bestas feras na sua ânsia de perseguir e dominar os outros  sob os mais variados pretextos.  

quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

O Papa e a Igreja


O Papa atual quando serviu à Juventude de Hitler
Joseph Ratzinger, hoje Bento XVI, fazendo o "Heil Hitler"




Ricardo Líper


As pessoas me perguntam o que acho das declarações sobre o casamento de pessoas do mesmo sexo feitas recentemente pelo Papa. Eu não ia comentar porque o silêncio em relação a essas religiões é o melhor que se pode fazer. Não estou preocupado com elas. O Papa e qualquer instituição pode e deve expressar o que pensa. Ele usou esse direito. Não me surpreende o que declarou. Quando essa igreja e as outras cristãs não fizeram, na sua história, coisas semelhantes? Ficaria surpreendido se ele declarasse alguma coisa diferente do que disse. As igrejas de origem cristã foram racistas até quando puderam e ainda são ao injuriarem, dizendo que é coisa do demônio, a religião dos afrodescendentes. Sempre foram aliadas das piores ditaduras que já tivemos, principalmente na América Latina. Sempre pregaram subjugar as mulheres, foram contra  o divórcio, querendo que mulheres fossem espancadas por maridos embriagados sem  reclamarem nem se separarem e poderem reconstituir sua vida amorosa. Ora, de uma entidade dessa com um senhor que foi da Juventude Hitlerista vocês queriam ouvir o quê? Eu acho melhor dois homens se casarem do que ficarem seduzindo ou obrigando a menores fazer sexo com eles sob o silêncio das abadias católicas ou das igrejas protestantes. Lembram do caso bizarro aqui da Bahia, com o assassinato brutal de  um garoto? Na realidade, quem peida pela boca se isola e eles estão cada vez mais isolados, porque as pessoas podem parecer estúpidas, mas não são em sua totalidade. A  maioria tem-se mostrado lúcida. Vejam Alexandria, o filme que mostra como eles sempre foram desde seu início obtusos e autoritários. Não deixem de ler, na briga dessas duas Igrejas Cristãs, o que está abaixo:
http://caiafarsa.wordpress.com/o-nazismo-nasceu-do-protestantismo-inedito/

terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Nunca tive opinião de cabresto

Ricardo Líper

Os inimigos do rei não são contra o PT nem nenhum outro partido qualquer a priori. Não é um blog de política, no sentido vulgar e superficial do termo, girando no que políticos fazem ou deixam de fazer.
Quem lêr os inimigos do rei com regularidade lê sobre vários assuntos e muitos tratam de comportamento, de pequenas e grandes injustiças. Cada vez mais eu concordo com Foucault na sua análise do poder. Situo-me mais em um pós-anarquismo como Todd May e outros se situam.
 O que gosto no PT foi ter tirado do poder uma elite reacionária, pelo voto de um povo cansado do autoritarismo acadêmico, racista, antifeminista, homofóbico e classista. Lula é um homem do povo que teve uma trajetória espetacular. Negar isso é ser cego. A nossa presidenta também. Heróica, inegavelmente. Uma mulher que enfrentou a ditadura militar e pela lei, pelo voto, chegou à presidência. Dilma é uma heroina. Não estou elogiando, estou apenas sendo justo. Não quero agradar ninguém. Pensei, digo. Nunca tive medo de dizer o que penso. Tiramos o doutor e colocamos um representante legítimo do povo e depois uma revolucionária de extrema coragem.
Tony, nosso companheiro de longas datas, na primeira eleição votou em Lula e fez campanha no jornal que trabalhava na época sendo ameaçado de ser demitido por isso. Eu votei nos dois. Lula e Dilma. Agora, não podemos, a cada peido que qualquer petista ou outro político der, dizer que é cheiroso. E se ainda estamos em uma democracia e não em uma democradura, tenho o direito de dizer livremente, sem ameaças, o que penso. O fascismo começa quando se quer uma opinião única e não se admite a menor ponderação sobre qualquer coisa que os ditadores dizem ou fazem. Dizem que na ditadura de Stalin ninguém parava de aplaudir as manifestações do governo a não ser quando um mangangão dizia para parar. As mãos ficavam doendo porque quem parasse de aplaudir era suspeito de ser contra o governo e seria perseguido. Deu no que deu. Eu critico o que me chateia e me deixa indignado e elogio o que não me perturba  e contribui para que todos sejam felizes e vivam bem. 

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Fernando Henrique, Lula e Dilma e os idosos na miséria

Impossível ver a diferença entre PSDB e PT quando se trata de perseguir aposentados


Vejam um pedaço da reportagem (excelente, por sinal...), de Luciana Rebouças, no jornal Correio:

O que pode mudar em 18 anos na vida das pessoas? Certamente, a lista é extensa, mas quando se trata do poder de compra dos aposentados que ganham acima de um salário mínimo, a lista só fez encolher. Os reajustes dados pelo governo ao longo destes anos, quando comparado ao aumento que foi dado ao salário mínimo, representam perdas salariais de quase 80% para
os aposentados. De 1994 até este ano, são exatos 76,54% de perdas, segundo tabela da Confederação dos Aposentados e Pensionistas do Brasil (Cobap).

Enquanto isso, Dilma Rousseff está falando à Nação que aumentou o salário mínimo de 545 para 622 para possibilitar que as pessoas consumam mais e mantenham a economia em funcionamento, evitando crises sistêmicas como as que acontecem nos EUA,  Grécia, Portugal, Itália, Espanha e tantos outros paises.
Isto, teoricamente, é verdadeiro, desde que os presidentes Fernando Henrique Cardoso (do PSDB) e Lula da Silva (do PT), e, agora, Dilma, do PT, não insistissem na tarefa de reduzir a uma ridícula quantia de reais as aposentadorias de todas aquelas pessoas que ganham mais do que um salário mínimo do seguro social.
A argumentação de que quer manter a economia funcionando, portanto, é FALSA, mentirosa, pois o aposentado, hoje em dia, NA MAIORIA DOS LARES BRASILEIROS, é aquele que é o PROVEDOR MAIOR, sustentando, inclusive, a criação dos filhos dos milhões de lares desfeitos cujos pais vão cada um pra um lado e deixam os filhos para os avós criarem.
Esta situação de ficar 18 anos DIMINUINDO as aposentadorias é uma pauperização do povo brasileiro. Vejo este caso dentro de minha família, com as aposentadorias todas se aproximando do salário mínimo, quando já foram de dois por mês.
Só o que eles não mexem é na aposentadoria de militares (se não são derrubados imediatamente). Não mexem nas aposentadorias dos políticos, se não perdem todas as votações no Congresso e são derrubados constitucionalmente. Não mexem nas aposentadorias do Judiciário, se não sofrem impeachment porque boa parte dos seus atos são irregulares.
Enfim, o PSDB e o PT instauraram no Brasil (sem NENHUMA DIFERENÇA entre um e outro), o ESTADO PARA SI. Eles só fazem aquilo que interessa aos seus grupos políticos, suas reeleições, seus privilégios e a situação da aposentadoria nos governos dos dois partidos é EMBLEMÁTICA deste Estado Para Si: 76% de PERDAS em 18 anos, menos nas aposentadorias deles e de seus apaniguados.
toNY pacheCO